A manipulação genética pop de Wanessa no álbum DNA


Desde o vazamento completo do novo CD da cantora brasileira Wanessa (a ex-Camargo, mas prometo parar de lembrar de seu sobrenome a partir de agora), o DNA, em meados da semana retrasada, estou ensaiando para escrever uma crítica. Principalmente porque não queria me restringir apenas à criticar o álbum, como também comentar sobre a recepção, positiva e negativa, que tiveram dele.
Não generalizando, afinal nada agrada gregos e troianos, mas notei que boa parte das pessoas que curtem música pop e não gostaram no álbum, mesmo que não admitam, foi por se tratar de uma cantora brasileira. Já o escutaram com o conceito formado na cabeça de que esta é a cantora de "Amor, amor, amor / Se é isso que se chama amor / Eu tô, eu tô, eu tô, apaixonada por você". E falo isso com propriedade de quem também pensava assim. Mas minha opinião foi mudando na medida que, nos últimos meses, Wanessa começou a apostar, e trabalhar bastante em cima disso, em se tornar uma cantora séria de música pop. Algo, tecnicamente, inédito no mainstream fonográfico brasileiro.
Para tal empreitada, entre outras coisas, começou a trabalhar com produtores decentes e a tentar conquistar o público gay, se apresentando em casas noturnas. E isso foi bastante criticado. Muitos alegaram que, assim como Lady Gaga, ela estava usando o público como estratégia para autopromoção. Eu realmente não vejo problema algum em aproveitar esse "nicho de mercado", afinal a grande maioria do fandom de qualquer cantora pop é constituído por gays. Então porque não juntar o útil ao agradável, caramba?! Vi ainda muita gente, gays inclusive, associando gostar da cantora com 'bichas pão com ovo'. O que demonstra, não só um certo preconceito implícito ao gosto musical alheio, mas também à condição social e acesso à informação... Mas isso é outra história.
Entendam que é tudo uma questão de perspectiva. O que aqui é associado à 'bichas pão com povo', ou menosprezado por ser de conhecimento popular, pode ser muito bem visto por alguém de fora. Não é difícil imaginar algum gringozinho pagando de hipster falando "tô escutando uma cantora pop brasileira, chupa essa manga!". E acredite, isso é muito fácil de acontecer num mundo globalizado, pois a cantora já foi elogiada pelo New York Post e fez bastante sucesso no fórum do famoso site Pop Justice.
O fato puro e simples é que DNA é um bom CD pop. Não é ótimo, não vai salvar o mundo da música, mas é bom, muito bom. Não deve EM NADA para recentes produções internacionais (não citarei nomes pra não gerar mais polêmica). É clichê, é pop genérico, é cheio de dance farofa? E como! Mas já pararam pra pensar o quão corajoso é fazer pop no Brasil, onde nem o rock, que vem sendo feito há 30 anos por aqui, é devidamente reconhecido? Não dava pra esperar que começasse fazendo indie pop experimental no que é, pra todos os efeitos, seu "primeiro" CD. Afinal, querendo ou não, o objetivo principal da música, pelo menos desse tipo, é vender.
Depois desse enorme manifesto, vamos falar um pouco do disco em si:

DNA:
O álbum começa com a faixa que lhe dá o nome, "DNA", um batidão dance, com direito à break dubstep, que mostra pistas do que virá.



Stuck On Repeat:
Depois vamos à robótica "Stuck On Repeat", musica mediana, mas com um refrão que gruda na cabeça.



Murder:
Seguimos para uma das melhores do álbum, "Murder", que tem descaradamente sample de "Born This Way" da Gaga (o que não chega a tirar identidade da canção), e viraria hit fácil, fácil, na mão de qualquer cantora gringa.



Worth It:
"Worth It" foi o primeiro single, que teve um clipe bastante criticado pela gente, e de fato, é uma das mais chatinhas do CD, a começar pela temática 'PriceTaguista'.



Sticky Dough:
O segundo single é a próxima, "Sticky Dough", que conta com a participação da rapper desconhecida Ke$ha Bam Bam e é, originalmente, da cantora norueguesa Carina Dahl. A faixa batidão eletrônica com quês de funk carioca me lembra, principalmente por causa da participação especial, o remix de "Girlfriend" da Avril com Lil' Mama e "(Drop Dead) Beautiful" da Britney com a Sabi.



Get Loud!:
O CD segue com música "Get Loud!" que parece uma mistura das duas faixas anteriores, e por isso, está prontinha para às pistas.



Falling For U:
"Falling For U", imagine Lasgo e Cascada, etc. É isso, sem tirar nem por.



Blow Me Away:
Aí vamos para "Blow Me Away", que é toda latina, mas também bem eletrônica. Lembra "La Isla Bonita‏" e "Spanish Lesson" da Madonna e também o hit "On The Floor" da JLo.



Rescue Mission:
Minha faixa preferida é "Rescue Mission". Completamente dubstep e com uma letra bem criativa na analogia de associar amor à uma missão de resgate. AMO o refrão "On a rescue mission, for your love / Going on a rescue mission, for your love / Calling out mayday, mayday / In your heart, in your heart". Eles tem até o cuidado de colocar ao fundo uns barulinhos de rádio amador e batidas de coração.



Tonight Forever:
"Tonight Forever" é a faixa fofa, uma balada levemente eletrônica usada principalmente pra dar uma equilibrada, depois de tanta bateção de cabelo.



High:
"High" também é uma das melhores e lembra, novamente, Madonna, a começar pelo nome, mas também na construção harmônica da faixa. Ela começa lentinha e segue com um refrão que mistura sintetizadores e leves toques de piano. Linda!



It's Over:
"It's Over" é a faixa que fecha a versão normal do disco, sem as bonus tracks, e serve para isso: encerrar o álbum. Ela é uma balada lenta e romântica, que exige bastante do vocal de Wanessa. A cantora não desafina, mas a música chega a irritar um pouco nos agudos. Algo similar a sensação de escutar "Firework" da Katy Perry, saca?



Nota final: 7,5.
_

33 comentários :

  1. Links para download (eu não testei, que fique claro):

    http://www.megaupload.com/?d=6RW42E1P
    http://www.fileserve.com/file/yJGX5Km
    http://bitshare.com/files/9bswa1xm/WDNA2011.rar.html

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do mega post.Claro que é muito dificil fazer um album pop no Brasil e confesso que so a partir de agora estou aprendendo a gostar da Wanessa (ex-camargo, ainda bem que retirou esse sobrenome.)
    Desde já desejo muito sucesso a Wanessa primeiramente nacional ate quem sabe internacionalmente pois ela merece fez um trabalho digno de uma cantora pop.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela crítica Édipo, eu tbm mudei a opinião sobre ela ha algum tempo e gostei muito do album, principalmente por ser algo inovador no Brasil. tempo e gostei muito do album, principalmente por ser algo inovador no Brasil.

    ResponderExcluir
  4. Gostei, me surpreendi! E parabéns pela crítica, ficou MUITO boa. Tomara que ela vença todo esse preconceito.

    ResponderExcluir
  5. Ótimo post, Murder e Rescue Mission são as melhores.

    ResponderExcluir
  6. ótimo post, vc conseguiu ilustrar bem cada faixa do cd...
    é engraçado depois q a gente se joga de cabeça no (novo) som dela e quer fazer os outros curtirem tb, mas aí rola o preconceito e tem q fazer toda uma explicação e talz... rs
    quem sabe aos poucos ela num vai ganhando o espaço merecido né
    ps: eu odeio funk (sou carioca) por conta das "letras" das "músicas", mas o batidão em si é bom, e a Wanessa conseguiu com Sticky Dough o q nem a M.I.A. conseguiu com Bucky Done Gun

    ResponderExcluir
  7. o cd é ótimo

    o meu problema é a voz, que é bem irritante (além do sotAaque, que dá agonia)
    esses soluços que ela dá ao cantar os agudos me lembram Joelma da banda Calypso

    ResponderExcluir
  8. Gente, amei o post e a crítica; tudo muito bem elaborado.Claro q a musica de wanessa nao vai salvar o mundo, mais tbm essas mesmas musicas não farão sucesso no Brasil por causa do preconceito do povo com a wanessa cantando esse tipo de musica. Que pena! Mais de qq forma, boa sorte pra ela!

    ResponderExcluir
  9. A crítica é bem sensata. O CD é muito bom e acho que vai ser bem mais aceito fora do que aqui. Talvez não role uma carreira internacional como todos imaginam. Wanessa está arriscando tudo com muito pé no chão, ela sabe muito bem onde quer chegar!

    ResponderExcluir
  10. Eu estava esperando a crítica de você, e me surpreendi. Engraçado, que eu sempre concordo com o que vocês dizem rs
    Bom, as faixas que mais agradaram foram Get Loud!, Rescue Mission, High e Stuck On Repeat, que já era minha paixão desde do Music Ticket.

    ResponderExcluir
  11. Excelente Crítica Édipo. Concordo plenamente com esse preconceito que se tem sobre o atual trabalho da Wanessa tendo em vista seus tempos pregressos como "Camargo", mas de fato ela melhorou muito e boa parte das músicas do DNA cumpre com sua função de divertir e grudar na cabeça de quem as escuta.
    Só para constar, o link do megaupload, postado no primeiro comentário, está funcionando e a qualidade do CD nele disponível é ótima.

    ResponderExcluir
  12. Ótima crítica, minha preferida também é "Rescue Mission". Espero que ela use como single.

    ResponderExcluir
  13. adorei a critica, rescue mission fav +1, ainda tem gente que não sabe que falling for u é da wanessa, quando todos souberem e resolverem olhar com outros olhos e acharem dna, com certeza ela vai colher o otimo trabalho desse album.

    tbm ñ gosto de worth it, party line que foi composta por ela mesma poderia sem duvidas substituir.

    ResponderExcluir
  14. ps: acho incrivel tbm que o cd ñ é acrilico, é musicpack como o da neide,

    ResponderExcluir
  15. tenho que confessar que tinha bastante preconceito com a Wanessa mas venho me redendo lentamente a ela desde FLY, agora com esse CD não tem jeito, vou virar fã. O pouco que eu escutei parece muito bom, espero que ela consiga a projeção que ela está visando com esse album, e q venham outros como esse!

    ResponderExcluir
  16. Ouvi o CD por causa de vocês. Tinha uma resistência só por causa de quem era a cantora, mas adorei o CD. Muito bom mesmo. E não vi sotaque nenhum. Críticas às estratégias para ganhar público à parte, o álbum é ótimo.

    ResponderExcluir
  17. Édipo, errata: a Carina Dahl é norueguesa! Sou mais a versão dela de Sticky Dough, hein... http://pt.wikipedia.org/wiki/Carina_Dahl :)

    Vou dar uma ouvidinha no álbum completo de Wanessinha, mas as músicas que eu ouvi me surpreenderam, são ótimas!

    ResponderExcluir
  18. BEm querendo ou nao todo cd seja qual for ..qual cantora for..tera influencias..
    Esse sem duvida e um dos melhores cds POP BRASIL ..
    todo ele remete uma tematica musicalmente falando ...
    Nao vejo de longe alguma cantora que consiga fazer um cd que abrange tantas vertentes do que esse da Wanessa.
    Falo nao como fã mais cmo alguem que admira musica.
    E "Uanessa" esta fazendo e alem de tudo sabe cmo fazer,

    ResponderExcluir
  19. Eu tbm não curtia as músicas da Wanessa na fase "Camargo"... e achava que ela seria sempre a sombra maldita da Sandy. Mas eis que ela nos surpreende com um cd em inglês e com batidas muito boas por sinal.
    Teria tudo para competir nas prateleiras do Brasil ao lado de Britney, Gaga, K. Perry e Rihanna se não fosse o preconceito musical do brasileiro, o mesmo que adora sertaNOJO e funk, finge que curte MPB mas torce o nariz para novos projetos. Ela foi muito audaciosa e isso já elevou a forma que eu a via no cenário da música pop. Vou com certeza comprar o álbum.
    Espero que ela tenha muito sucesso nessa jornada, pena que está grávida e derrepente isso atrase a divulgação...mas enfim, uma cantora pop de nível no Brasil .

    ResponderExcluir
  20. Nunca gostei da Wanessa, mas o album me surpreendeu . O pessoal fala que ela ta se aproveitando do publico gay , que ela mudou. Mas não é isso que fazem as cantoras que querem evoluir? A katy Perry era uma cantora gospel e depois começou a cantar que beijava garotas e todo mundo gostou.A lady Gaga era uma cantora normal , de repente virou isso que é agora e tudo mundo adorou.Sera que não é preconceito e complexo de terceiro mundo que tudo que vem de fora é melhor? Eu não vejo diferença na estrategia da Wanessa e dessas outras cantoras.

    ResponderExcluir
  21. excelentes comentários... faço das minhas palavras a sua.

    ResponderExcluir
  22. I read and understood your article, and I enjoyed it. I think you really made a good point and touched every thing about Wanessa. DNA is one of the best if not the best album coming from Brazil; and I hope the people in brazil would change their mind about Wanessa and help her pursuit her new career.

    WANESSA GREAT ALBUM CONGRATS! WAY TO GO WANESSA!

    ResponderExcluir
  23. the north face outlet, http://www.thenorthfaces.in.net/
    michael kors uk, http://www.michaelkorsbags.uk/
    ralph lauren outlet, http://www.ralphlaurenoutletuk.org.uk/
    air jordan 11 free shipping, http://www.airjordan11.net/
    oakley sunglasses wholesale, http://www.oakley.in.net/
    moncler outlet store, http://www.uggoutletstore.eu.com/
    lebron shoes, http://www.lebronjames.us.com/
    michael kors outlet online, http://www.michaelkorsoutletonlinstore.us.com/
    chicago blackhawks jersey, http://www.chicagoblackhawksjersey.us/
    ysl outlet, http://www.ysloutletonline.com/
    marc jacobs, http://www.marcjacobs.cc/
    louis vuitton outlet, http://www.louisvuitton.in.net/
    cheap jordans, http://www.jordan-shoes.us.com/
    boston celtics jersey, http://www.celticsjersey.com/
    michael kors outlet online, http://www.michaelkorsoutletonlinestores.us.com/
    nike air max, http://www.nikeairmaxshoes.org.uk/
    cheap jordan shoes, http://www.cheapjordanshoes.in.net/
    san antonio spurs, http://www.sanantoniospursjersey.com/
    north face outlet, http://www.thenorthfaceclearances.us.com/
    true religion outlet, http://www.truereligionjean.in.net/
    swarovski outlet, http://www.swarovski-outlet.co.uk/
    1012

    ResponderExcluir