23/12/2012

Retrospectiva 2012 1.7: Melhores Clipes



Mais um ano está chegando ao fim. E que ano, hein?! Como fizemos em 2010, resumidamente em um post, e 2011, em quatro, faremos desta vez em sete (!), para conseguir compreender tudinho o que aconteceu no mundo pop.
Este é o 1º, com os melhores clipes. Procuramos levar em consideração não somente os gostos pessoais da equipe, mas também analisar o material tecnicamente. Gostaríamos que tentassem fazer o mesmo, pois, com certeza, um ou outro vídeo você pode não ter visto e essa é a oportunidade! Depois está convidado a dar sua opinião nos comentários, ela será muito bem vinda, concordando ou discordando da gente! Bora? ;D



Lana Del Rey - Ride: A videografia de Lana Del Rey se divide em vídeos-recorte caseiros ("Video Games"), vídeos vintage bem produzidos, meio que versões evoluídas desses ("National Anthem" e "Summertime Sadness") e superproduções ("Born To Die" e "Blue Jeans"). Dentre os que se enquadram nesse último item, o destaque vai para "Ride", o clipe do ano para nós. Dirigido por Anthony Mandler, é espetacularmente impecável, tanto em seu teor cruel, como na estética minuciosamente construída, das locações à fotografia.



Of Monsters and Men - Little Talks: Talvez a "benção geográfica" de terem origem do mesmo país que Björk tenha influenciado a banda folk-indie Of Monsters and Men a fazer um dos clipes mais fodas do ano para o single (ótimo) de estreia para o álbum (também de estreia e ótimo) My Head Is an Animal. "Little Talks" foi dirigido pela dupla Mihai Wilson e Marcella Moser e traz os integrantes do grupo numa jornada mágica, que mais parece um encontro de Georges Méliès com o folclore nórdico.



Woodkid - Run Boy Run: O diretor francês Yoann Lemoine dá continuidade ao seu projeto musical próprio, iniciado em "Iron" (que ganhou de melhor clipe na retrospectiva do ano passado). Ele chega mais um vez a um resultado espetacular, épico e emocionante misturando várias técnicas, das analógicas às digitais, sobrepondo cenários e optando apenas pelo Preto e Branco. "Run Boy Run" fará parte de seu disco de estreia, The Golden Age, marcado para 18 de março de 2013.



Antony and the Johnsons - Cut the World: "Cut the World" é uma daquelas produções que tem fazem ficar pensando por horas a fio depois de assistir (pense em Ensaio sobre a Cegueira). Dirigido por Nabil e estrelado por Willem Dafoe e Carice van Houten, o clipe começa comum, como num também comum dia de trabalho num escritório. Mas desencadeia num desfecho tão inesperado, quanto violento. A música faz parte do álbum live/sinfônico, de mesmo nome, lançado em agosto.



Björk - Mutual Core: Björk se juntou ao MOCA (Museu de Arte Contemporânea de Los Angeles), sob a direção do artista plástico Andrew Thomas Huang, e deu, claro, num dos melhores clipes do ano. "Mutual Core" é um inusitado híbrido de animais, vegetais e, principalmente, minerais, que ilustra muito bem o Biophilia, álbum do qual a música saiu, onde a sonoridade se dá por uma mistura exótica de instrumentos e acústicos, de sopro e percussão, com elementos eletrônicos.



Gotye - Easy Way Out: Embora tenha sido "Somebody That I Used to Know", outra música do disco Making Mirrors, que tenha tornado o cantor belga-australiano mundialmente famoso, foi "Easy Way Out" que teve o melhor clipe, dirigido por Darcy Prendergast. Ele mostra Gotye como um comum trabalhador, numa rotina extremamente estressante... Só que numa mistura incrível de live-action e stop motion em 360º.





M83 - Reunion: Iniciada em "Midnight City" ano passado, e terminada recentemente em "Wait", "Reunion" foi o clipe-episódio do meio da trilogia de Anthony Gonzalez (aka M83) para ilustrar o maravilhoso disco Hurry Up, We're Dreaming, que esteve entre os melhores discos na retrospectiva 2011. Como todos, foi dirigido pela dupla Fleur & Manu, e mostra a jornada de um grupo de crianças com poderes extra-sensoriais em busca da liberdade.




Citizens! - True Romance: Se Kylie Minogue fosse vocalista de uma banda indie, provavelmente esse seria o resultado de "All The Lovers". Mas "True Romance" é, na verdade, single do primeiro CD do quinteto londrino Citizens!. Seu clipe, dirigido pelo coletivo We Are From LA, foi inspirado numa foto de um confronto policial que rolou ano passado no Canadá, e traz diversos casais se beijando em inusitadíssimas situações (a maioria envolvendo risco de vida).




Justice - New Lands: Os clipes do aclamado duo eletrônico francês são sempre sinal de ótimas produções. E no de "New Lands", faixa saída do Audio, Video, Disco (de 2011), não é diferente. Dirigido pelo coletivo Canada, numa parceria com a marca RedBull lançado na época das Olimpíadas de Londres, a superprodução tem ares retrofuturistas, mostrando a partida de um violento esporte que mistura várias modalidades atuais.




Jay-Z & Kanye West - No Church In The Wild: Chegamos ao último lugar de destaque e, pelo que deu pra notar, boa parte dos melhores clipes do ano tem em comum uma abordagem mais crua, realista e violenta. O 10º colocado é um deles, até porque foi dirigido por um mestre nesses assuntos: Romain Gavras. A música saída do álbum Watch The Throne, da dupla de rappers Kanye West e Jay-Z, mostra um violento confronto de civis com a polícia, cheio de pancadaria e coquetéis molotov em slow motion.



Menções honrosas: Beirut - The Rip Tide / Ed Sheeran - Give Me Love / David Guetta feat. Sia - She Wolf (Falling To Pieces) / Foster The People - Houdini / Grandphone Vancouver - Miss Me / Grimes - Oblivion / Grizzly Bear - Yet Again / M.I.A. - Bad Girls / P!nk - Try / Rihanna - Diamonds
www.quedelicianegente.com

6 comentários :

  1. poxa, Bad Girls, Yet Again e Oblivion (Genesis da Grimes tbm é lindo) mereciam formar o top 3! Mais sugestões: Set It Off do Diplo, Beez da Nicki, Everything is Embarrassing da Sky, qualquer um do Le1f, Laura da Natasha, Atlantis da Azealia... Mas adorei que Antony and the Johnsons foi lembrado!

    ResponderExcluir
  2. Ride, Little Talks e Easy Way Out <3

    ResponderExcluir
  3. Acho que tem um pequeno erro. Na parte da lana, está dizendo que blue jenas e born to die são super produções, mas national anthem, apesar de alguns não gostarem, é sim, uma super produção! Ótimo post!

    ResponderExcluir
  4. só conheço o da Lana q eu tipo amo muito

    ResponderExcluir
  5. realmente faltou Azealia, Grimes e 'Bad Girls'.

    ResponderExcluir