23/12/2012

Retrospectiva 2012 2.7: Melhores Álbuns e Capas de Álbuns



Possivelmente este será o post mais "polêmico" dos sete que formarão a Retrospectiva 2012 do blog (já tivemos o primeiro, com os melhores clipes). Isso porque, quando falamos de discos, atingimos diretamente os gostos pessoais, o que vai levar muitos de vocês a perguntar por que o seu artista favorito não se encontra na lista.
Vale lembrar, mais uma vez, que adoraríamos saber o seu top 10. Quanto ao nosso, tentamos, principalmente, fazer uma lista bem diversificada entre mainstream e alternativo, assim como o próprio blog é. Com certeza alguns dos colocados vão até surpreender (como o 4º, por exemplo).



Marina and The Diamonds - Electra Heart: Com ele, Marina Diamandis ensinou que: Rule number one - A "maldição do 2º CD" pode estar errada e que é possível sim superar o trabalho anterior; Rule number two - E você ainda pode fazer isso de uma maneira pop e radiofônica, tornando seu fandom muito maior. A cantora britânica resolveu fazer muito diferente do The Family Jewels, chamar produtores hitmakers, abordar temáticas antes proibidas e, bem, deu TÃO certo que fez o melhor disco do ano. [Escute: Starring Role]

Lana Del Rey - Born To Die: Lizzy Grant já tentou a sorte na música sob diversos nomes artísticos (daí a quantidade absurda de unreleaseds que possuí), mas foi como Lana Del Rey que chegou ao estrelato, após o single "Video Games" ter se tornado um hit entre os indies, e posteriormente ao grande público, no ano passado. Seu disco de estreia (como Lana) não decepcionou, trazendo uma bem dosada mistura sonora e visual de melancolia, sensualidade, luxo, decadência e ares vintage. [Escute: Dark Paradise]

Passion Pit - Gossamer: A impressão que Gossamer passa é de que foi minuciosamente pensado para agradar o público para o qual se dirige. Passeando entre momentos ora épicos, ora intimistas e, na maioria das vezes, alegres e ensolarados, prontos para tocar em repeat em qualquer festa hipster por aí, o trabalho talvez não soe tão sincero como o de estreia, Manners (de 2009), mas com tanto cuidado, sem dúvida, o quinteto americano conseguiu alcançar um masterpiece indie pop. [Escute: I'll Be Alright]

Taylor Swift - Red: Mesmo que você não goste dela, ou que não goste de sua música, é inegável que Taylor Swift sempre foi talentosa dentro do que se propôs a fazer. E em seu quarto disco, Red, resolveu arriscar mas nem tanto, explorando novas sonoridades. Essencialmente pop, o trabalho também traz resquícios do country que a tornou famosa, bem como exploração de folk e, pasme, até dubstep. Esse 4º lugar é, acima de tudo, um voto de confiança para que continue experimentando. [Escute: The Last Time]

Ellie Goulding - Halcyon: Surgida com uma premissa de um indie pop fofo ao extremo, comprovado em seu álbum de estreia, Lights (2010), a britânica causou estranhamento ao revelar as primeiras doses de seu segundo CD. Os temores só aumentaram quando ela começou a namorar o DJ Skrillex que, com todo seu dubstep, poderia ser forte influência no trabalho. Os medos se confirmaram e... Isso foi ótimo! Ellie fez um álbum denso, dark e completamente distinto do antecessor, mas tão bom quanto. [Escute: Figure 8]

Grimes - Visions: Dar play no Visions significa iniciar uma viagem psicodélica por uma floresta mágica, cheia de unicórnios robôs e fadas cyberpunk. Sim, parece meio maluco, mas é extremamente difícil explicar de outra maneira a sonoridade alcançada por Claire Boucher neste CD. Explorando vários gêneros, que vão do synth ao dream pop, e os juntando ao seu exótico timbre, a cantora canadense conseguiu, num único disco, ser experimental e, ao mesmo tempo, acessível. [Escute: Be a Body (侘寂)]

Two Door Cinema Club - Beacon: Depois de terem feito praticamente uma "Lisztomania 2.0" com "What You Know", single do debute Tourist History (2010), o trio britânico veio com a responsabilidade de superar (ou igualar, pelo menos) o elogiado primeiro trabalho com Beacon. Conseguiram? Não, por serem indecisos entre a seriedade, vinda da maturidade musical, e a diversão que os tornou famosos. Por incrível que pareça, ainda assim soa coeso e delicioso. Por isso ganha nosso 7º lugar. [Escute: Sun]

P!nk - The Truth About Love: Com mais de 10 anos de carreira e cinco álbuns de estúdio, ninguém esperava que, no sexto, P!nk fosse surpreender. Claro, sem dúvidas seria um disco bacana, com um ou outro hit, mas não tããão bom! Trazendo músicas divertidas e irônicas, baladas poderosas e, principalmente, ótimas parcerias, a diva do pop rock conseguiu fazer um CD onde todas a faixas são singles em potencial. [Escute: Just Give Me a Reason]


Fun. - Some Nights: Formada por Nate Ruess, anteriormente da banda The Format, o Fun. teve um álbum de estreia, o Aim and Ignite de 2009, tão bom, quanto despercebido (até mesmo pela crítica especializada). Já o segundo, Some Nights, ganhou a luz do dia quando o seu primeiro single estava quase no auge de um inesperado sucesso mundial. Numa feliz coincidência, o novo trabalho conseguiu agradar os poucos fãs antigos e ainda conquistar muitos novos. [Escute: Carry On]

Ke$ha - Warrior: Estigmatizada de autotunada e farofeira (justificavelmente), Ke$ha decidiu utilizar no Warrior, uma estratégia similar à Taylor Swift em Red: Correr riscos, mas de maneira segura. Menos plástico, cheio de parcerias e novidades sonoras, o CD é muito mais tragável e abrangente - quanto a públicos - que o Animal/Cannibal. Mesmo assim, foi cuidadosamente planejado, por um time de produtores, para te fazer cantarolar por horas ou perder a dignidade on dancefloor. [Escute: Love Into the Light]

Menções honrosas: Bonde do Rolê - Tropicalbacanal / Frank Ocean - Channel Orange / G.O.O.D. Music - Cruel Summer / Mumford & Sons - Babel / Muse - The 2nd Law / Regina Spektor - What We Saw From The Cheap Seats / Scissor Sisters - Magic Hour / Sleigh Bells - Reign of Terror / Spector - Enjoy It While It Lasts / The XX - Coexist



Paloma Faith - Fall to Grace: "Capas de álbuns" não é lá uma categoria muito lembrada nas retrospectivas musicais de blogs e sites, mas é uma que fazemos questão de falar, pois aqui no QDNG beleza é sim fundamental (modéstia à parte, o apuro estético com nosso layout e posts que o diga). E, ainda bem, que em 2012, ao contrário de Nicki Minaj, alguns realmente capricharam em suas capas. Tivemos os que preferiram apelar para fotografias tão belas, que mais parecem pinturas (como o 1º lugar, Fall to Grace da Paloma Faith, o 3º, Master of My Make-Believe da Santigold e o 10º, Born To Die: Paradise Edition da Lana Del Rey). Os que foram para ilustração de fato (como o 2º, Born and Raised do John Mayer e o 4º, Yellow & Green do Baroness). E ainda os que preferiram o surrealismo (6º, Beacon do Two Door Cinema Club e 7º, Magic Hour do Scissor Sisters, por exemplo). Clicando no 1º lugar e na galeria abaixo, é possível ver os detalhes de cada uma das capas, em alta resolução.

_ _

_ _

_ _

Menções honrosas: David Byrne & St. Vincent - Love This Giant / Dragonette - Bodyparts / G.O.O.D. Music - Cruel Summer / Jason Mraz - Love is a Four Letter Word / Led Zeppelin - Celebration Day / Maroon 5 - Overexposed / Owl City - The Midsummer Station / Purity Ring - Shrines / The Rolling Stones - GRRR! / The XX - Coexist
www.quedelicianegente.com

26 comentários :

  1. AMEI todas as indicações! Amei! Marina and the Diamonds mereceu o primeiro lugar como melhor álbum! E que surpresa ao ver a capa de Magic Hour do Scissor Sisters na lista! A capa do Two Door Cinema Club também tá ÓTIMA, achei American Horror Story kk E preciso expressar meu imenso contentamento por vocês terem deixado M.D.N.A de fora das listas! Achei super digno!



    Aguardando os demais posts! :DDD

    ResponderExcluir
  2. Cadê o Overexposed nas melhores capas?

    ResponderExcluir
  3. Farei a linha reclamão: CADÊ O MOTEL DA BANDA UÓ AÍ ?

    ResponderExcluir
  4. Marina mereceu o primeiro lugar, fez um álbum pop e ao mesmo tempo com conteúdo. Me surpreendi com a Ke$ha aí hahaha

    ResponderExcluir
  5. Só não esperava fun. na lista dos melhores álbuns. Essa banda até aqui no QDNG?

    ResponderExcluir
  6. Amei quase todos na lista de melhores álbuns! Só que a minha ordem seria um pouco diferente. E Babel do Mumford & Sons com certeza entraria no meu top 10 haha :)

    ResponderExcluir
  7. Lana Del Rey e Marina and the Diamonds foram as melhores de 2012 mesmo <3

    ResponderExcluir
  8. Eu tiraria Taylor Swift e no lugar iria Killers com Battle Born e também tiraria Two Door Cinema Club para colocar The XX. Em geral eu gostei do top 10 CDs de 2012

    ResponderExcluir
  9. Achei a lista de álbuns ótima, mas tiraria Ke$ha do 10° e colocaria 'The Evolution Of Man', do Example. É um álbum maravilhoso, que deveria pelo menos ter entrado no top 10.

    ResponderExcluir
  10. Realmente achei que Taylor na frente da P!nk nada a ver, e KD o LOTUS da Xtina??? Foi um álbum tão inteligente caprichado, muito mais arriscado que o da Taylor.

    ResponderExcluir
  11. Tm Taylor e não tm Christina Aguilera - Lotus ? me poupe .

    ResponderExcluir
  12. Eu particularmente AMO o Lotus, mas ele e justamente o contrário de "arriscado".

    ResponderExcluir
  13. Super concordo com a Marina em #1, achei o "electra heart" uma delicinha de álbum Agora tem Ke$ha e não tem o Imagine Dragons (pra mim a melhor surpresa do ano, e o álbum tbm na minha opinião um dos melhores do ano), fiquei meio bolado com a situação Nem mesmo Of Monsters and Man não foi citado (outro album maravilhoso).

    ResponderExcluir
  14. sdds Rita Ora, Ora. :(
    Ellie merecia o 1º, desculpa aí.

    ResponderExcluir
  15. E Rihanna com o melhor album da carreira??? Unapologetic.

    ResponderExcluir
  16. Concordo em partes, era pra ser sim um album mais comercial, como foi, mas aí é que está, ela fez um album mais comercial, mas sem ser óbvia, ela se arriscou sim, a única faixa realmente "segura" foi Let There Be Love onde ela se entregou ao farofismo, ela fez o mesmo que a Marina, fez um album mais comercial, mas sem perder toda a personalidade dela, e aquilo que la queria falar. Nesse sentido acho sim que ela arriscou, e por isso o album foi um flop tambem, ela não teve medo de falar aquilo que tava engasgado.

    ResponderExcluir
  17. Vocês estão de superando mais e mais, muito bons os posts

    ResponderExcluir
  18. Super concordo com Marina, Ellie, Pink e Fun. Mas só também....

    ResponderExcluir
  19. Eu sempre acompanho vocês então pra mim, em parte, não é surpresa a ordem até porque é bem parecida com a minha. Com exceção de Frank Ocean que devido ao hype não tive paciência pra ouvir, assim como o novo da Pink e o fato de odiar o cd do fun. Mas nas capas, preciso concordar. Não presto muita atenção nisso, mas adoro essa da Lana e gosto muito da capa de Halcyon também. :)

    http://www.paleseptember.com

    ResponderExcluir
  20. Pra quem tá reclamando do Warrior na lista: Você pode até não gostar da Ke$ha, mas não tem como negar que o álbum é realmente um bom álbum pop... além do mérito por ter conseguido se manter no segundo álbum, a ke$ha conseguiu fazer um álbum muito agradável. É daqueles álbuns que você consegue ouvir todas as músicas dele, diferentemente de alguns por aí que tirando os singles radiofônicos, o resto é claramente dispensável.


    Falando nisso, nunca fui fã da ke$ha, mas eu gostei tanto do álbum que resolvi comprá-lo. (aliás, e ser uma das poucas pessoas que o tem HAHAHAAHAH sdds vendas!)

    ResponderExcluir
  21. http://lounge.obviousmag.org/animus_movendi/2012/12/faca-uma-lista-das-musicas-e-albuns-que-gostaria-de-ouvir.html

    ResponderExcluir