Em seu primeiro álbum, Clarice Falcão está numa saga que destrincha a monomania



E veio Clarice Falcão nos fazer apaixonar de uma vez por todas por ela. Depois de um tempinho falando sobre, a pernambucana finalmente lança seu primeiro álbum. Monomania vem depois de um EP, esse composto de quatro canções que também estão no CD, para fornecer uma experiência mais completa de sua música.

Monomania é a definição de uma obsessão doentia sobre algo, uma ideia, um objeto ou uma pessoa. Melhor nome para esse projeto não podia ter. Como disse a cantora "É um CD com o ponto de vista da pessoa apaixonada. É sobre como a gente fica idiota, pateta, obsessiva, paranoica e um pouco maluca".

E a partir dessa temática, e depois dessa explicação, a gente entende porque é fácil se identificar com os versos fluidos e sua composição sem refrão. E dá até um pontinha minúscula de desespero quando percebemos que nos vemos mais e mais nas letras.

Muitas das músicas já estão no YouTube há um tempo, então praqueles que conheceram "Oitavo Andar" com o nome de "Uma Canção Sobre o Amor, Ah o Amor..." não há necessariamente aquela surpresa de escutar pela primeira vez. Mas a artista trabalhou novamente em cima de suas composições e mudou uma entonação aqui, esticou uma nota ali e, no fim, deu uma roupagem nova para o material que muitos já conheciam. Não é algo tão extraordinário e nem inovador, mas é extremamente bem vindo, como em "A Gente Voltou", que ganhou um tom circense incrível, ou na faixa-título, que teve um toque parisiense adicionado.



Quando se vê, antes de ouvir, que a maioria das músicas têm menos de 3 minutos, você estranha, mas aceita rapidamente. Só que, sem negação, dá a little bit de agonia quando você percebe que existem canções com menos de 2 minutos. E aí é uma confusãozinha de sentimentos quando se ouve, por exemplo, "Um Só", e você se apaixona perdidamente pela música. Clarice uma vez disse que não vê sentido em fazer refrão, já que é uma estrutura repetitiva. Ouvindo "Capitão Gancho" não há como descordar dela. Mas o gostinho de "eu preciso de mais um minuto nessa música" ainda fica em você.

Mesmo com os arranjos de algumas músicas parecidos entre si, e umas duas músicas com arranjos tão semelhantes que chega a te confundir qual canção é qual, Clarice entrega uma ode aos efeitos da paixão. Com bom-humor e tanta sinceridade que chega a doer, e te faz chorar (mais de uma vez), dá pra se tornar fácil um monomaníaco por ela. Se a multitalentosa Falcão vai ficar rica, não sabemos (provavelmente sim), mas que muitos vão amar esse CD sobre uma pessoa só, é certeza.

quedelicianegente.com

6 comentários :

  1. Vocês do blog poderiam disponibilizar um link pra download do álbum? Eu adora a Clarice, mas não consegui achar nenhum site pra fazer download do álbum. : (

    ResponderExcluir
  2. Gente eu fiz o upload do Cd lá no 4shared. Aqui o Link: http://www.4shared.com/rar/vU1kmU6T/Clarice_Falco_-_Monomonia_CD_2.html?

    ResponderExcluir
  3. http://search.4shared.com/postDownload/usMcmA6T/Clc_Flc_-_Mnm__2013_.html

    ResponderExcluir
  4. muito fera, valeu mesmo!!!

    ResponderExcluir
  5. Acho bacana o trabalho dela, mas como tem neste post http://cabinecultural.com/2013/12/11/em-show-na-concha-clarice-falcao-deixa-transparecer-a-fragilidade-do-seu-trabalho/ acho que muito do desenvolvimento da carreira foi feito de um modo um tanto forçado. Gosto de vê-la nos vídeos da Porta dos Fundos, mas ela ainda precisa ganhar presença de palco para se tornar uma cantora completa

    Luis Cláudio Cavalcanti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse post do cabine cultural diz muita besteira sobre a Clarice não deixa espaço para as pessoa tirarem sua próprias conclusões Clarice tem um trabalho muito bacana diferente e bem humorado divertido transmite uma ótima vibe acho que é o que falta pois acho muito melhor a juventude de hoje se interessar por letras "bobinhas" do que por letras onde só dizem palavrões e outras besteira. Que bom que Clarice saiu da web e está sendo reconhecida que bom que ela não pensou igual a desmiolada que escreveu aquela porcaria de texto onde diz que coisas que surgem na web por lá devem ficar é lógico que ela ainda não tem presença de palco é algo que leva tempo é exigir demais de alguém que surgiu a pouco tempo não dá pra querer compará-la a artistas que tem décadas de estrada e talvez seja esse jeito desajeitado e simples que torna ela que ela é e tão querida sou super dessa mulher espero que ela cresça cada vez mais.

      Excluir