Triângulo das Bermudas dos clipes, de “Put In A Love Song” a “Do What U Want”



Tratando-se de um grande nicho comercial, o mundo da música está fadado à tomadas de decisões repentinas, por estratégias comerciais que nem sempre entendemos. Mas, como é composto por artistas, que antes de tudo são pessoas, é igualmente alvo de brigas de egos.

Seja por um desses, os dois, ou outros motivos, muitas vezes videoclipes, às vezes prontos, acabam nunca vendo a luz do dia (ou vendo de maneira não oficial). Sendo assim, recuperamos o pendrive perdido no Triângulo das Bermudas do pop e vamos listar algumas dessas produções "proibidonas". Vem com a gente!

Alicia Keys feat. Beyoncé - Put In A Love Song

Não há como começar com outro, que até já virou a piadinha "antes tarde, que Put In A Love Song". Ele chegou a ser rodado - no Brasil, durante a passagem das duas por aqui em 2010 - mas dizem que Beyoncé simplesmente não gostou do resultado e Alicia não pode fazer nada (já outros, que não ficou nada feliz com Bey como foco...).

Sobre o assunto, numa entrevista de 2012 dada à revista Essence, a intérprete de "Girl on Fire" disse que "às vezes, em assuntos criativos, tudo conspira para dar certo. Mas, às vezes, as coisas dão quase certo e o melhor é deixar de lado". Por isso, contente-se com o teaser do que poderia ter sido um grande hit:



Para vocês verem como não é fácil passar pelo crivo de Mrs. Carter, há não muito tempo, vazou uma versão alternativa descartada do clipe "Grown Woman".

Carly Rae Jepsen - Curiosity

Antes do disco Kiss, de 2012, no começo do mesmo ano, Carly Rae Jepsen lançou um EP chamado Curiosity, que rendeu um single homônimo. Ele também viraria música de trabalho do álbum, mas acabou sendo trocado pela gravadora, que ainda colhia os sucessos do hit "Call Me Maybe" e preferiu trabalhar com a parceria com Owl City.

Mas chegou a ter um clipe gravado, que vazou e mostrou duas coisas: 1) talvez motivo do arquivamento foi por mostrar uma Carly mais adulta e sexualizada do que a imagem que vinham trabalhando na cantora e b) ironicamente é seu melhor clipe.



Avril Lavigne - Mobile

Falando em canadenses, Avril Lavigne também tem um arquivamento pra chamar de seu. Seu disco de estreia, Let Go, rendeu singles de sucesso, como "Complicated" e "I'm with You", mas "Mobile" também virou música de trabalho (com foco na Oceania). Um clipe foi gravado em dezembro de 2002 em Los Angeles, mas foi arquivado, só vindo à tona em 2011, quando vazou.



Icona Pop - Sun Goes Down

Indo pra Suécia, outra produção não utilizada foi "Sun Goes Down" do Icona Pop, que, estava há meses na internet, mas só veio ao conhecimento público em janeiro.

A faixa, parceria com St. Lucia e The Knocks, originalmente presente EP Iconic e no álbum autointitulado sueco (ambos de 2012), acabou não entrando no This Is..., disco lançado mundialmente pela dupla em 2013, onde preferiram abrir espaço para coisas mais parecidas com o hit "I Love It".



Florence + The Machine - Hurricane Drunk

Foi numa dinâmica parecida (troca de singles), que Florence + The Machine engavetou o clipe de "Hurricane Drunk", preferindo lançar uma nova versão de "Dog Days Are Over" para dar continuidade à promoção do CD Lungs.

No entanto, o vídeo, dirigido por Eva Husson e gravado em Paris, chegou até a ser exibido na TV antes da mudança e encontra-se facilmente na internet pra quem quiser ver.



La Roux - Tigerlily

Em meio a rumores de um possível retorno, voltemos a 2010 pra relembrar que o debute do duo britânico La Roux ganharia o clipe de "Tigerlily", além dos conhecidos "Quicksand", "In for the Kill", "Bulletproof" e "I'm Not Your Toy".

Na época, chegaram a liberar os bastidores das gravações, onde a vocalista Elly Jackson explica um pouco do conceito (mostrando inclusive o storyboard) e tem seu rosto escaneado para efeitos especiais em 3D. Por algum motivo, o material nunca saiu.



Kanye West - Monster

Uma das melhores músicas do My Beautiful Dark Twisted Fantasy não ia ser deixada de lado e Kanye gravou um clipe pra ela, contando com a horda de participantes da faixa (como Nicki Minaj na icônica cena em que tortura seu próprio alterego) e polêmicas no conteúdo (um quê de necrofilia, por exemplo).

Só que uma versão não finalizada da produção (em algumas partes é possível até ver as marcas d'água de banco de imagens) vazou em dezembro de 2010. O rapper, conhecido por seu perfeccionismo e não pela paciência, ficou putíssimo e só o lançou terminado seis meses depois, apenas em seu site. No player abaixo é possível ver as duas versões comparadas:



Katy Perry - Thinking of You

Muita gente não sabe, mas "Thinking of You", single do One of the Boys da Katy Perry, tem dois clipes. O oficial é aquele bonitinho da moça que fica com o coração dividido entre um novo amor e o que foi pra guerra. Mas ele teve um outro, gravado em 2007, antes mesmo do disco sair. Tal versão (ainda bem, vazada) tem uma história um pouco mais tensa, envolvendo (ou induzindo) amantes, traições, ménage à trois e até esfaqueamento.

Mais tarde, numa entrevista, a cantora declarou que nunca teve a intenção de lançá-lo oficialmente, que era só um vídeo simples "feito por um amigo". Mas como não é tão caseiro assim, provavelmente foi descartado pela gravadora, por conflitar com a imagem "fofa" e descompromissada que Perry, aliás, carrega até hoje.



Britney Spears - Outrageous

A pérola perdida da princesa do pop fica por conta de "Outrageous". A faixa do In The Zone, parceria com o Snoop Dogg, chegou a ser em parte gravado (o que rendeu a prévia abaixo, que por sua vez serviu da base para vários fan-mades), mas Britney se machucou durante as filmagens de cenas de dança e ele acabou nunca saindo.



Paramore - Ain't It Fun

Não é divertido quando uma banda diz vai lançar um clipe e acaba o substituindo por outro. Foi o que o Paramore fez. Anunciaram, ainda em 2013, o vídeo "Ain't It Fun", não gostaram de como ficou, o substituíram por "Daydreaming", mas prometeram lançar, mais tarde, uma nova versão do arquivado.

Ok, cumpriram a promessa, o lançado ficou lindo, fofo e provavelmente deu uma forcinha para que a música se tornasse (merecidamente) um dos seus maiores sucessos. Mas nos faz roer as unhas de curiosidade pra saber o porquê descartaram o projeto inicial... Segundo alguns fãs suspeitam, ele faria indiretas a Josh e Zac Farro, ex-integrantes do grupo.



Lady Gaga - Do What U Want / The Edge Of Glory

O mais recente exemplo de "perda do pen-drive" (tanto que foi o que nos deu a ideia deste post) é "Do What U Want" da Lady Gaga. Tal faixa, inicialmente lançada como buzz-single do ARTPOP, fez um sucesso repentino, a gravadora resolveu promovê-lo a single oficial, gravou o seu clipe, deveria lançá-lo em dezembro, mas nunca saiu (pelo menos, não até o fechamento da matéria... Vai saber, né?).

Particularmente, achamos que foi arquivado pela soma dos fatores contextualmente polêmicos envoltos à produção. Juntar a letra/temática, ao fato de R. Kelly (seu parceiro na faixa) e Terry Richardson (o diretor) serem acusados de abuso sexual, poderia ser demais para a imagem da cantora, que já anda meio desgastada entre a opinião pública.

Por enquanto - ou quem sabe pra sempre - nossa curiosidade só pode ser um pouquinho saciada pelos pequenos trechos em baixa qualidade vazados recentemente:



Mas fechamos lembrando que não é a primeira vez que mother monster descarta um vídeo. "The Edge Of Glory" teve uma outra versão gravada, que contaria com cenas da cantora de sereia, nadando sob a ponte do Brooklyn, e para qual cenários de um bizarro hospital (fotos abaixo) foram construídos.



Acontece que Gaga entrou em conflito criativo com o então diretor, Joseph Kahn, mudou de ideia sobre o conceito e dirigiu ela mesma o vídeo oficial, dito por muitos como o menos legal de sua carreira. Mas, pelo visto, as ideias não foram completamente pro lixo, pois posteriormente elementos parecidos apareceram em "Yoü and I" e "Marry The Night", né?



Curtiram a matéria? Diz pra gente sua opinião nos comentários (mesmo se for para nos lembrar de algum clipe que faltou nela).
quedelicianegente.com

10 comentários :

  1. Sou super fã de La Roux e me senti um mega poser por não saber que ''existe'' um video para Tigerlily... que por sinal é uma música maravilhosa, e o video deve ter ficado f*da também :\

    ResponderExcluir
  2. Faltou Start Without You da Alexandra Burke que foi gravado uma maneira, saíram gravações dos bastidores e posteriormente a versão oficial é diferente da outra que seria apresentada. Também há duas versões do clipe de Milkshake da Kelis. a primeira pode ser encontrada em qualidade baixa no youtube e a segunda é a oficial.

    ResponderExcluir
  3. Faltou a versão funeral de "Gimme More" e a versão orginal de "Perfume" da Britney Spears!

    ResponderExcluir
  4. Halo da Beyoncé tem outra versão também... dela dentro de um carro numa estrada a noite.

    ResponderExcluir
  5. que coincidência depois o clipe de Blue da Beyoncé ter a mesma estética de Put In A Love Song eim

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. huuum... http://oi62.tinypic.com/2hd6rti.jpg

    ResponderExcluir
  8. Faltou o Talk That Talk da Rihanna!

    ResponderExcluir
  9. American Life da Madonna, teve a versão que quase foi lançada, e a Director's Cut q saiu depois, bem mais sangrenta. A versao oficial lançada é a sem graça, das bandeirinhas

    ResponderExcluir