Trailer de “Tangerine”, filme estrelado por atrizes trans e gravado inteiro no iPhone



Filmado inteiramente com iPhones 5S, Tangerine é o queridinho da última edição do festival Sundance, que rolou entre janeiro e fevereiro. O filme de Sean Baker chega ao circuito comercial americano em 10 de julho e já rendeu matérias em veículos de lá, como o New York Times e Los Angeles Magazine e até nos daqui, como O Globo.

Baker conseguiu resultados impressionantes com celulares, mas não dependeu só deles. O diretor e roteirista utilizou um adaptador anamórfico da Moondog Labs, que na época era só um protótipo, para obter uma área maior de filmagem e possibilitar a exibição em widescreen, além de corrigir distorções na edição. Sam também usou o aplicativo Filmic Pro, que refinou o controle do foco, abertura da lente e cor, e um steadicam para evitar imagens tremidas. No entanto, o interessante do longa não está somente no equipamento relativamente simples, mas na temática e principalmente em suas intérpretes.

O trabalho retrata o cotidiano de duas prostitutas transgêneras de Hollywood. Na noite de Natal, Sin-Dee (Kitana Kiki Rodriguez) sai da prisão e está de volta às ruas. Após uma conversa com a amiga Alexandra (Mya Taylor), descobre que seu namorado Chester (James Ransone) não tem sido fiel e saiu com uma garota cisgênera, o que rende um diálogo hilário entre as duas e vai fazer você querer assistir a essa epopeia. Veja o trailer:



Elas então saem em busca de confirmar o rumor e acabam se aventurando em diversas subculturas de Los Angeles, como uma família armênia que está lidando com as próprias consequências de infidelidade. O clima é de humor, mas também há sensibilidade e drama ao retratar a psique das protagonistas e os problemas fruto de sua condição, que é praticamente uma amálgama de minorias oprimidas: mulheres, transgêneras, pobres, profissionais do sexo, uma negra e outra latina.

O verdadeiro brilho e relevância de Tangerine residem no fato de que são atrizes trans interpretando personagens trans. Temos inúmeros exemplos de filmes e séries que retratam o assunto, como Transamérica (2005, Duncan Tucker), M. Butterfly (1993, David Cronenberg), a série Transparent (criada por Jill Soloway), Má Educação (2004) e Tudo Sobre Minha Mãe (1999), ambos de Pedro Almodóvar. O que todos esses têm em comum? Todas as personagens transexuais são interpretadas por atores e atrizes cisgêneros, o que em si apaga a visibilidade da minoria T. A única exceção atual talvez seja Laverne Cox em Orange Is the New Black.
quedelicianegente.com

Um comentário :

  1. Existe um filme MUITO BOM que estreou final do ano passado nos EUA chamado "Boy Meets Girl", mas que parece não ter feito um grande circuito de apresentações nem ser uma grande produção. O trailer está aqui: https://www.youtube.com/watch?v=WNdW9TzxGrk

    Mostra a história de uma garota trans bissexual do interior, e o roteiro é incrível! Não sei se tem legendas em português, assisti em inglês e encontrei pra baixar por torrent.

    ResponderExcluir