Mais visibilidade trans: Mya Taylor no filme “Happy Birthday, Marsha!”



A atriz Mya Taylor foi descoberta por Sean S. Baker e escalada para viver Alexandra em Tangerine, filme que fez um tremendo sucesso no circuito independente de cinema e no festival de Sundance deste ano. E nesta semana que já teve Caitlyn Jenner na capa da revista Variety, temos mais um ponto para a visibilidade trans abalar o "cistema"*: Taylor interpretará a lendária ativista transgênera Marsha P. Johnson em Happy Birthday, Marsha!.

O longa conta com roteiro e direção de Reina Gosset, e começa a ser gravado em Nova York em junho. A trama conta a trajetória de Marsha, que além de ativista também era artista, e sua vida nas horas que precederam os protestos de Stonewall em 1969. Juntamente com Sylvia Rivera, Johnson desempenhou um papel decisivo no início das manifestações que se seguiram em junho daquele ano. As amigas foram ativistas dos direitos LGBTQ até o fim de suas vidas.

Quem viverá Rivera é Eve Lindley, que apareceu na campanha da loja Barney no ano passado, que contou com 17 modelos transgêneros e rendou até matéria no Buzzfeed.

O projeto está sendo produzido por Luisa Conlon e tem Zackary Drucker (da série Transparent) como consultor de produção. Arthur Jafa é o diretor de fotografia. Para mais informações, visite o site oficial.

*Fazemos aqui uma brincadeira juntando as palavras "sistema" e "cisgênero". O neologismo denota um sistema pautado pela cisgeneridade, ou seja, um mundo composto apenas de pessoas que se identificam com o gênero imposto em seu nascimento. Isso é, obviamente, uma grande inverdade, já que o gênero é uma construção social e a transgeneridadee e a não-binariedade existem desde tempos imemoriáveis.
quedelicianegente.com