Emicida cantando contra o racismo no videoclipe de “Boa Esperança”



Ontem, mesmo dia em que Kendrick Lamar lançou o super crítico e relevante clipe de "Alright", o rapper Emicida divulgou o vídeo de "Boa Esperança", que é um verdadeiro banho de água fria no racismo nada velado que mina a sociedade brasileira.

O artista já fez um discurso sensacional na Virada Cultural deste ano acusando o sistema, a falácia do racismo reverso, a culpabilização das mulheres vítimas de estupro, o descaso com os professores e avisando os opressores "Pra esses bunda mole aí que acha que nós tá dormindo: não é porque nós tá sonhando que nós tá dormindo".

Dirigido por Katia Lund e João Wainer e produzido por Deborah Osborn, Felipe Briso e Gilberto Topczewski, o clipe é sem sombra de dúvidas o melhor vídeo brasileiro do ano. Feito em homenagem a sanfoneira piauiense Dona Gracinha, um ícone de resistência e cultura negra no país, a narrativa mostra empregados de uma mansão que são humilhados pelos patrões. Essa cristalização do complexo de sinhá é infelizmente algo corriqueiro no Brasil.

Com uma das empregadas sendo vítima de preconceito pelo seu cabelo e sofrendo violência sexual é retratada a sexualização da mulher negra. Os demais trabalhadores se rebelam contra os empregadores e até mesmo a filha branca dos donos se une a rebelião. Na letra Emicida canta "Cês diz que nosso pau é grande. Espera até ver nosso ódio", entre outros trechos que denunciam a perpetuação da escravidão e exclusão institucionalizada dos negros. Assista a essa obra-prima nacional:



A produção é do Laboratório Fantasma em parceria com a bigBonsai e no elenco temos os filhos de Mano Brown, Domenica e Jorge Dias.
quedelicianegente.com

4 comentários :