[Atualizado] “Xena: A Princesa Guerreira” pode ganhar reboot, com Lucy Lawless!



A neozelandesa Lucy Lawless iniciou sua carreira no fim dos anos 80, mas foi a personagem Xena de Hércules: A Lendária Jornada (1995) que lhe deu prestígio. Tanto, que a anti-heroína teve sua própria série, Xena: A Princesa Guerreira, produzida no mesmo ano e exibida até 2001.

A aventura da vilã redimida ficou em décimo lugar na lista das 25 Melhores Séries de Culto da História da revista TV Guide em 2007 e foi o primeiro seriado a ter um fandom nos primórdios da internet. Os fãs continuam ativos até hoje.

Atualmente interpretando a Condessa Marburg na segunda temporada de Salem, e em breve como Ruby Knowby em Ash. Vs Evil, a atriz pode voltar para um reboot da série atualmente em desenvolvimento!

Durante o painel dessa última na Comic-Con, de acordo com o site Den of Geek, a própria já havia dado pistas sobre. No evento, disse que se os fãs queriam um retorno, podiam apelar até mesmo para crowdfunding (financiamento coletivo) e que, no fim, o único empecilho seriam questões legais, relacionadas a quem detinha os direitos legais.

Mas agora, segundo o The Hollywood Reporter, está tudo acertado e Lawless voltará, embora ainda não esteja definido se atuando ou envolvida de alguma forma na produção. Nem mesmo o formato foi confirmado, pode ser uma minissérie ou ter diversas temporadas. A publicação apenas deixa claro que seria produzida pela NBC e apresentaria uma leitura moderna de Xena, "com o carisma de Lawless e a inteligência de Katniss.", e precisam de alguém para ocupar o cargo de roteirista. Além disso, Rob Tapert, o criador da original, reavivará a princesa guerreira.

Em tempos de feminism is the new black, enredos de fantasia em alta (como Game of Thrones), as especulações da volta de Xena: A Princesa Guerreira fazem muito sentido. Resta torcer para que (alerta de possível SPOILER) a lesboafetividade entre a protagonista e Gabrielle seja explorada de forma não-sexualizada sem precisar apelar para audiência. Dessa forma, o reboot pode repetir o modelo de força feminina independente que tivemos na infância e impactar a representatividade LGBTQ contemporânea.

Update: Infelizmente, a atriz confirmou em seu twitter que tudo não passa de um rumor. Apenas seu desejo de voltar a interpretar é genuíno.
quedelicianegente.com