O mundo amanheceu com a maquiagem de raio de Aladdin Sane borrada.



Alguns dias após o seu aniversário e lançamento do álbum Black Star, David Bowie faleceu e deixou uma legião de fãs de diversas gerações órfãos. O Camaleão do Rock foi um dos artistas mais versáteis, inovadores e visionários da história da música popular - talvez o maior de todos.

Bowie passeou entre diversos estilos musicais; rock, pop, folk, glam rock, drum'n'bass, soul, art rock e avant-garde jazz. Além da música, o cantor também atuou em diversos filmes, como O Homem que Caiu na Terra (1976), Fome de Viver (1983), Labirinto - A Magia do Tempo (1986) e O Grande Truque (2006).

A influência de David transpassou a música e quebrou códigos sociais vigentes. Um exemplo disso foi a revelação de sua bissexualidade em uma entrevista em 1972, o que impulsionou a cultura LGBTQ na época. Contudo, voltou atrás em 1983, alegando que não queria levantar nenhuma bandeira. No entanto, juntamente com o Queen, Bowie compôs "Under Pressure", o qual virou um hit. Futuramente, nesse campo, seguindo os passos de forma mais explícita e levantando todos os estandartes possíveis, uma fã de ambos reinventaria a música pop: Lady Gaga.

E em homenagem ao rei da reinvenção, selecionamos os, em nossa opinião, dez melhores videoclipes de sua carreira. A ordem utilizada na lista é cronológica, e não comparativa.

1. Space Oddity:

"Space Oditty" foi fruto do segundo álbum homônimo. A canção fala sobre um astronauta fictício, Major Tom, e é uma clara alusão ao filme 2001: A Space Odyssey (1968), de Stanley Kubrick.



2. Life On Mars?:

De seu quarto álbum Hunky Dory, "Life On Mars?" é um tanto minimalista e mostra Bowie explorando a androginia com maquiagem carregada e terno azul. A canção foi cantada por Elsa Mars (Jessica Lange) em American Horror Story: Freakshow, e recria o visual do cantor na cena.



3. John, I'm Only Dancing:

The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars é talvez o mais famoso e aclamado álbum da carreira de David, ou melhor, de Ziggy Stardut, o rock star porta-voz de extraterrestres. "John, I'm Only Dancing" é uma faixa bônus e seu clipe não é um dos melhores do cantor. No entanto, é o único registro visual de um dos melhores discos de todos os tempos e por isso merece constar na nossa lista.




4. Heroes:

"Heroes" é um tema do álbum de mesmo nome e é considerada uma das melhores composições de Bowie. A música fez parte da trilha sonora de Eu, Christiane F., 13 Anos, Drogada e Prostituída (1981), As Vantagens de Ser Invisível (2012) e Praia do Futuro (2014).



5. Boys Keep Swinging:

De seu 13º álbum, "Boys Keep Swinging" é uma canção que satiriza o machismo. No vídeo, Bowie aparece hora como um cantor dançando sensualmente à la Elvis Presley, hora como três mulheres. Uma pérola na videografia do camaleão.



6. Ashes to Ashes:

"Ashes to Ashes" foi um dos mais marcantes clipes dos anos 80 e influenciou o movimento "New Romantics", do qual Duran Duran e Boy George faziam parte. Inovador para a época, o vídeo tem a fotografia solarizada e mostra Bowie fantasiado de Pierrô.



7. Let's Dance:

Ao contrário da melodia alegre, um dos maiores hits de David Bowie, "Let's Dance", possui um clipe nada aprazível. Nele é denunciada a exploração dos povos originários da Austrália e mostrados os malefícios do imperialismo.



8. I'm Afraid of Americans:

Inspirado em Taxi Driver (1976), o vídeo conta com a participação do vocalista do Nine Inch Nails, Trent Reznor, e ironiza a paranoia gerada pela violência enraizada na cultura estadunidense.



9. Underground:

 Parte da trilha sonora de Labirinto - A Magia do Tempo, o clipe mostra imagens das várias personas de Bowie, como Jareth (o vilão do mesmo filme, Ziggy Stardust, The Thin White Duke, Thomas Newton (de O Homem Que Caiu na Terra)e Baal.



9. The Stars (Are Out Tonight):

Em "The Stars (Are Out Tonight)", a diretora Floria Sigismondi reuniu várias figuras andróginas e retratou o romance de um casal de idade atormentado por fantasmas jovens. Além de Bowie, Tilda Swinton, Andreja Pejić, Saskia de Brauw e Iselin Steiro estão no elenco da história de terror.



10. Black Star:

O curta de 10 minutos dirigido por Johan Renck mostra Bowie contemplando a mortalidade. O enredo, cheio de easter eggs ao seu repertório audiovisual, retrata uma mulher que descobre o cadáver de um astronauta e leva sua caveira para um ritual em uma cidade sobrenatural.



Bônus - Lazarus:

O último clipe da carreira de David Bowie é o soturno "Lazarus". Lutando contra o tempo, o artista está em um leito de hospital e é inevitavelmente levado novamente para seu túmulo. Após seu falecimento, o vídeo ganha outra interpretação e as palavras que ele escreve talvez seriam seus últimos desejos e assim, a canção torna-se um réquiem antecipado. Ao contrário do moribundo homônimo bíblico, Bowie não foi salvo da morte. Porém, seu legado será para sempre lembrado e influenciará ainda muitos outros músicos.


quedelicianegente.com

4 comentários :