Em entrevista ao QDNG, Allie X fala de música, moda, política... Menos do clipe “Sanctuary”



Na semana passada, Allie X veio ao Brasil para um show, mais especificamente em São Paulo, no dia 9.

Nós do QDNG não só fomos convidados a comparecer ao concerto pela W+ Entertainment, produtora que conseguir idealizar a vinda da cantora ao país, como também para realizar uma entrevista exclusiva com ela.

Ela foi extremamente simpática e nos recebeu no hotel em que estava hospedada um dia antes da apresentação. Nós fizemos as tietes, dando presentes e pedindo autógrafos. E assim iniciamos uma série de perguntas, que vão desde sua carreira até preocupações com a atual conjuntura política dos EUA, onde a canadense reside há alguns anos.

QDNG: Oi, Allie, como você está? Está aproveitando sua viagem ao Brasil? Está animada para o show de amanhã?

Allie: Muito bem, obrigada! Muito bom! (risos). Sim, estou aproveitando muito. Estou bastante ansiosa para o show.

QDNG: Alguns fãs acham os seus meios de divulgação um tanto... Confusos. Você tem algo contra os formatos fonográficos tradicionais – como singles, clipes, lyric-videos, álbuns? Ou há algum outro motivo para esses métodos incomuns de lançar música?

Allie: Eu sempre gosto de lançar as coisas de uma maneira diferente. Mas, para o meu prejuízo, é um pouco complicado em uma indústria que já é por si só desafiadora. Eu aprendi isso da maneira mais difícil e então tento fazer as coisas de uma maneira autêntica, e não tradicional.

QDNG: Por falar nisso, pode nos dizer alguma novidade sobre o CollXtion II?

Eu posso resumir em uma palavra: fragmentação.

QDNG: Há vários artistas canadenses muito bem-sucedidos e conhecidos mundialmente, como Avril Lavigne, Arcade Fire, Justin Bieber e Carly Rae-Jepsen. Você gostaria de sugerir algum músico ou banda de seu país que não seja tão conhecido?

Allie: Procurem uma banda chamada Diana, é de uns amigos meus. Ah, e também Weaves!

QDNG: Pode nos contar como foi sua turnê com Troye Sivan? Ele parece ser muito fofo, né?

Allie: Sim, ele é muito fofo e uma pessoa inteligente e genuína. E penso que ele é um ótimo defensor das coisas certas para essa geração mais nova. A turnê foi muito divertida. Acho que foi a plateia mais numerosa para qual me apresentei. Havia entre duas mil a três mil pessoas por show. Sim, foi demais!

QDNG: Por falar em parcerias, como foi trabalhar com Violet Chachki no videoclipe de "All The Rage"? Foi sua ideia chamá-la pra trabalhar com você?

Allie: Sim, eu procurava alguém para interpretar meu alter-ego enquanto estava ocupada com tantos shows no centro de Los Angeles. Achei que Violet seria uma boa doppelgänger (risos) e eu sou muito fã, sabe? Tenho alguns amigos que trabalharam em RuPaul's Drag Race e entraram em contato com ela e nós nos damos superbem de cara. Espero que façamos mais coisas juntas no futuro. Ela é incrível, adoro ela! Tem muito bom gosto.

QDNG: O vídeo de "Sanctuary" é facilmente encontrado na internet, ainda que não esteja em seu canal oficial do YouTube. Você pretende lançá-lo oficialmente algum dia? Como foi gravar na Romênia e por qual razão escolheu esse local?

Allie: Eu não pretendo lançá-lo oficialmente. E quanto a Romênia, sem comentários.

QDNG: Você já lançou uma espécie de história em quadrinhos e um vídeo experimental chamados 'The Story of X', ambos não tão conhecidos pelos teus fãs. Tem vontade de realizar outros projetos como esses?

Allie: Sim, eu sempre gosto de pensar em CollXtion como uma coletânea multimídia, com diversos aspectos além das canções e clipes. E "The Story of X" foi lançado em diversos capítulos contando uma história autobiográfica. E, sei lá, sabe? Quanto mais orçamento eu tiver, mais eu poderei fazer (risos). Tenho muitas ideias mas ainda não foi possível concretizá-las, contudo, espero conseguir fazer isso um dia.

QDNG: Você tem um visual único. Gosta de moda? Possui alguma marca e/ou ícone fashion favoritos?

Allie: Sim, eu adoro Comme des Garçon, Jacque & Gus… Trabalho com diversos novos estilistas em ascensão. Estou pensando em usar alguma roupa feita por um designer brasileiro no show de sexta-feira, mas ainda não há nada confirmado. Não me lembro o nome, mas caso eu lembre, te digo depois.

QDNG: É quase Natal já, né? Como seria um Natal segundo Allie X? Se tivesse que escolher uma canção natalina para fazer um cover, qual seria?

Allie: Eu não gosto muito de Natal. Eu apenas evito, sabe? Não é pra mim. Ah, você também não gosta (risos)?

QDNG: Já faz um bom tempo que você mora nos EUA. Com o recente resultado das eleições e sua repercussão mundial, é quase inevitável não perguntar sobre isso. O que você pensa sobre o Donald Trump? Quem você gostaria de ver na Casa Branca?

Allie: Como eu digo nas minhas canções, acho que falar sobre política é sempre complicado, né? Obviamente, vivemos em uma democracia e precisamos de alguém liderando o país e gostaria que essa pessoa fosse solidária, responsável, dedicada e boa. Infelizmente, as pessoas que se sentem atraídas pela política não costumam ter essas características. Quando penso no assunto, bem, as coisas são como são, né? E é preciso votar em alguém que tenhas essas qualidades, mas você nunca sabe realmente. Por isso acredito que sempre há tantas decepções. Donald Trump parece ser um imbecil (risos!). Hillary parece ser uma pessoa correta, melhor que ele, porém, não tenho certeza. Eu apenas espero que o melhor aconteça. Torço que todos os muçulmanos, pessoas LGBTQIA, mexicanos, etc, não sejam prejudicados. E, como artista, continuarei a defendê-los e ajudar as pessoas que precisam de apoio.

QDNG: Você tem um fandom brasileiro conciso, mas muito fiel - tanto que conseguiram trazê-la para fazer um show aqui. O que acha de seu sucesso no país? Isso é algo que te surpreende?

Allie: Pois é! Fico um pouco surpresa sim. Eles sempre foram bem incisivos sobre eu vir pra cá e chegou um ponto que a minha equipe disse "Bem, vamos lá! Vamos ver se é tão forte quanto parece ser."(risos). Até agora tem sido maravilhoso e foram vendidos bastante ingressos. Espero poder voltar e tocar em outras cidades, como Rio de Janeiro.

QDNG: Para finalizar, poderia mandar um recado para seus fãs brasileiros leitores do blog? Muito obrigado, Allie! Até logo, te vejo no show amanhã!

Allie: Olá, QDNG. É um prazer conhecê-los, meus Xs brasileiros! Estou muito feliz por estar aqui e não vejo a hora de encontrá-los. E pra aqueles que não moram em São Paulo e não conseguirão comparecer, espero que possamos fazer isso em outra oportunidade. Muito obrigada!

E assim terminamos a entrevista. Inicialmente, haveria um vídeo da mesma, mas infelizmente tivemos problemas técnicos com a gravação. De qualquer forma, Allie foi muito receptiva e conseguiu pronunciar o nome do blog com muita facilidade. Quanto ao show, foi relativamente curto, mas emocionante. Dá pra ter um gostinho nesse vídeo feito pela W+:


quedelicianegente.com